quinta-feira, 6 de maio de 2010

Cultura Hippie

Quem nunca ouviu falar nos Hippies!? Bom acho que a maioria já deve ter visto algo sobre o festival de Woodstock e movimentos hippies na tv ou ouviu alguém comentando.
Neste post vou mostrar um pouco sobre essa cultura que hoje é quase extinta.



Os "hippies" (no singular, hippie) eram parte do que se convencionou chamar movimento de contracultura dos anos 1960. Uma das frases ideomáticas associada a este movimento foi a célebre máxima "Paz e Amor" (em inglês "Peace and Love") . As questões ambientais, a prática de nudismo, e a emancipação sexual eram ideias respeitadas recorrentemente por estas comunidades. Adotavam um modo de vida em comunhão com a natureza, negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietname, bem como todas as guerras, abraçavam aspectos de religiões como o budismo, hinduismo, e/ou as religiões das culturas nativas norte-americanas e estavam em desacordo com valores tradicionais da classe média americana e das economias capitalistas e totalitárias. Eles enxergavam o patriarcalismo, o militarismo, o poder governamental, as corporações industriais, a massificação, o capitalismo, o autoritarismo e os valores sociais tradicionais como parte de uma "instituição" única, e que não tinha legitimidade.

Origens
O termo derivou da palavra em inglês hipster, que designava as pessoas nos EUA que se envolviam com a cultura negra. Em 6 de setembro de 1965, o termo hippie foi utilizado pela primeira vez, em um jornal de São Francisco, um artigo do jornalista Michael Smith. A eclosão do movimento se deu em consequencia do surgimento da chamada Geração Beat, os beatniks, uma leva de escritores e artistas que, primeiramente, assumiram os comportamentos copiados pelos hippies.
Com a palavra "beat", John Lennon, transformado em um dos principais porta-vozes pop do movimento hippie, criou o nome da sua banda - The Beatles. Tanto o termo beatnik como o termo hippie assumiam sentido pejorativo para a grande massa norte-americana.

Estilo
Sempre com as Kombosas estilizadas e psicodélicas. Seu principal símbolo era a Figura circular com 3 intervalos iguais, que foi desenvolvido na Inglaterra como logo para uma campanha pelo desarmamento nuclear, e foi adotado pelos hippies americanos que eram contra a guerra nos anos 60. Muitos jovens passaram a contestar a sociedade e a pôr em causa os valores tradicionais e o poder militar e econômico. Esses movimentos de contestação iniciaram-se, impulsinados por músicos e artistas em geral. Os hippies defendiam o amor livre e a não-violência. O lema "Paz e Amor" sintetiza bem a postura política dos hippies, que constituíram um movimento por direitos civis, igualdade e anti-militarismo nos moldes da luta de Gandhi e Martin Luther King, embora não tão organizadamente, mantendo uma postura mais anárquica do que anarquista propriamente, neste sentido. Como grupo, os hippies viviam em comunidades coletivistas ou de forma nômade, vivendo e produzindo independentemente dos mercados formais, usavam cabelos e barbas mais compridos do que era considerado "elegante" na época do seu surgimento. Muita gente não associada à contracultura considerava os cabelos compridos uma ofensa, em parte por causa da atitude iconoclasta dos hippies, às vezes por acharem "anti-higiênicos" ou os considerarem "coisa de mulher".
Os Hippies não pararam de fazer protestos contra a Guerra do Vietnã, cujo propósito era acabar com a guerra. A massa dos hippies eram soldados que voltaram depois de ter contato com os Indianos e a cultura oriental que, a partir desse contato, se inspiraram na religião e no jeito de viver para protestarem.
Usavam roupas velhas e naturalmente rasgadas, para ir em oposição ao consumismo, ou então roupas com cores berrantes para fazer apologia a psicodelia, além de diversos outros estilos incomuns (tais como calças boca-de-sino, camisas tingidas, roupas de inspiração indiana). Predileção por certos estilos de música, como rock psicodélico Rolling Stones, The Beatles, Grateful Dead, Jefferson Airplane, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Quicksilver Messenger Service, The Doors, Pink Floyd, The Kinks, Bob Dylan, Raul Seixas, Neil Young, Mutantes, Zé Ramalho, Secos e Molhados, os tropicalistas (Caetano, Gil, etc), Novos Baianos, A Barca do Sol , soft rock como Sonny & Cher ,Hard Rock como The Who, e em alguns casos até o grunge como Nirvana.
Também apreciavam o Goa Trance, isto, quando hippies viajantes, buscadores espirituais e um sem-número de pessoas ligadas a manifestações de contracultura, munidos de conhecimento técnico de produção de música electrónica e de um puro desejo de curtir e experimentar, desenvolveram, de forma intuitiva, um novo estilo sonoro. Um dos principais fundadores deste movimento foi Goa Gil.

Comportamento
Amor livre e sem distinções, liberdade de expressão. Rejeição à produtos de beleza, giletes de barbear, shampoos ou outros instrumentos artificiais. Vida em comunidades onde todos os ditames do capitalismo são deixados de lado. Por exemplo, todos os moradores exercem uma função dentro da comunidade, as decisões são tomadas em conjunto, normalmente é praticada a agricultura de subsistência e o comércio entre os moradores é realizado através da troca. O incenso e meditação são parte integrante da cultura hippie pelo seu caráter simbólico e quase religiosos. Uso de drogas como marijuana (maconha), haxixe, e alucinógenos como o LSD e psilocibina (alcalóide extraído de um cogumelo), visando a "liberação da mente", seguindo as idéias dos beats e de Timothy Leary, um psicólogo proponente dos benefícios terapêuticos e espirituais do LSD. Porém muitos consideravam o cigarro feito de tabaco como prejudicial à saúde. Quanto à participação política, mostravam algum interesse, mas nunca de maneira tradicional. Eram adeptos do pacifismo e, contrários à guerra do Vietnã, participaram de algumas manifestações anti-guerra dos anos 60, não todas, como se acredita. São contra qualquer tipo de autoritarismo e preocupados com as questões sociais como a discriminação racial, sexual, etc. Fome intelectual insaciável. Raramente são adeptos à muitas inovações tecnologicas, preferindo uma vida distante de prazeres materiais. Misticismo. A liberdade sexual, a não-discriminação das minorias, o ambientalismo e vegetarismo.

Atualidade Ainda hoje, muitos se encontram em festivais e encontros para celebrar a vida e o amor, como no Peace Fest e nas reuniões da família arco-íris. No Brasil temos algumas comunidades Hippes espalhadas por praias e comunidades alternativas. Neste contexto, destacam-se a cidade mineira de São Tomé das Letras, o vilarejo Trindade em Parati, RJ, Pirenópolis em Goias, Trancoso na Bahia, etc.
No cenário musical nacional, destacam-se o cantor Raul Seixas (que provavelmente veio a ser o maior cantor hippie da historia nacional) e a banda Mutantes, que fizeram grande sucesso nos anos 60 e 70 e tem milhares de fãs ainda hoje. Na cena musical contemporânea, destaca-se o cantor Ventania, São Tomé das Letras, MG. Ventania tem em seu repertório inumeras obras, que falam desde o livre pensar ao desapego material, cultuando a natureza e os ideais Hippes.
Fora do Brasil , existiam vários artistas hippies, entre eles está Jimi Hendrix , (que talvez seja a maior celebridade hippie internacional), Janis Joplin (foto ao lado ->), Joe Cocker (o compositor da música que marcou o festival de Woddstock "With a little help from my friends"), dentre outros.


Gírias
As gírias hippies surgiram no Brasil principalmente nos anos 70 e se tornaram tendência entre os jovens e atualmente são usadas com menos freqüencia, mas muitas nunca deixaram de ser usadas por jovens e "coroas".

Paz e amor - Tranquilo, tudo bem
Barra - Dificuldade
Bicho - Amigo
Parada - Negócio
Bicho Grilo - Hippie
Bichogrilês - Idioma dos Hippies
Bode - Confusão
Capanga - Bolsa
Coroa - pessoa não-jovem (mais de 50 anos)
Dar o cano - quebrar compromissos
Dar um giro - sair, passear
Eu tô que tô - Eu Estou bem
Fazer a cabeça - mudar a cabeça de alguém
Parafrentex - Atual
Psicodélico - Estranho
Jóia - Tudo bem
Podes crer - Acredite; tá-se bem
Repeteco - Repetição
Cara - pessoa, usado para mulheres e homens
Sacar - entender
Pô - Exclamação de contrariedade
Meu - pessoa, cara
Massa - Legal
Não dá nada - não tem problema
Corta essa! - desiste, muda (exclamação)
Mudar a cabeça - mudar o modo de pensar
Acertar as cabeças - combinar (pessoas)
Falou e disse - disse tudo
Velha e velho - pai e mãe
Véio - amigo
Caô - conversa fiada; mentira
Falou - Tchau, Até Mais.

Fonte: Wikipédia

Eu ja me interesava antes pelo estilo de vida dos hippies, porque sempre gostei dos ídolos do Rock progressivos citados acima, depois que comecei a frequentar festas que resgatam essa cultura (mas com o estilo de música diferente) e assisti o filme Aconteceu em Woodstock me apaixonei completamente pela cultura alternativa. São totalmente desligados de bens materias. Pra quê se matar de trabalhar e conseguir dinheiro pra gastar com conforto e "felicidade" se a vida proporciona sensações e momentos incríveis sem cobrar nada em troca, com coisas simples, basta se entregar e apenas viver! Pra eles basta o amor e a paz no mundo, se todos pensassem como eles certamente o mundo seria outro!!

Espero que tenham gostado,
Beijonabuchecha até mais! :)
.

41 comentários:

  1. Eu falo 90% das gírias citadas ai em cima SDIOJFDSJDS Meu sonho é ter um kombe psicodélica cara :/

    ResponderExcluir
  2. e a mudança mundial acontecera por um bando de pessoas q n levantam 1 dedo para nd e so reclam?

    ResponderExcluir
  3. Primeiro, não tive intenção nenhuma em mudar o mundo mostrando meu posicionamento sobre os fedidos hippies. Segundo, sou biologo convivo com problemas ambientais e sim eu faço meu papel pra tentar mudar alguma coisa e posso te dizer com toda certeza que ser hippie e não levantar um dedo pra nada equivalem a mesma coisa! Terceiro, muita falta de informação ou muita ignorância dizer que a tecnologia tem total relação com a poluição do planeta, e se o mundo fosse hippie será que todos seriam analfabetos igual você?

    É a minha opinião...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai toma no seu cu seu arrombado n gosta n critica so pq e biologo acha q e alguma coisa no mundo seu imbecil. pelo menos eles nam são infeliz como vc .

      Excluir
    2. Vai toma no seu cu seu arrombado n gosta n critica so pq e biologo acha q e alguma coisa no mundo seu imbecil. pelo menos eles nam são infeliz como vc .

      Excluir
    3. esta exaltado ferinha

      Excluir
    4. se acha biólogo só pq come capim... serzinho infeliz e ignorante.... bem que o Millr dizia: em uma coisa os imbecis são insuperáveis, na quantidade...!!! é minha certeza sobre vc... babacao... perdeu sua mulher paa um hippie e ficou vingativo...

      Excluir
    5. Não concordo em nada com o ponto de vista desse Biólogo "cheiroso".. hahaha (almofadinha).. Sou Bióloga também, mestre em Herpetologia e com o Doutorado em andamento.. e quer saber? "VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA".. sou Hippie e não vou mudar meu ponto de vista.

      Excluir
    6. Hhaaha
      certo! Tô contigo ;)

      Excluir
  4. Falou pouco, mais falou bonito !

    ResponderExcluir
  5. viva o dark a naturesa e o lsd paz e amor

    ResponderExcluir
  6. Mesmo que os hippies não lutem para mudar a cabeça da maioria.
    O que importa é que o estilo de vida dos hippies ajuda e muito a mudar o mundo.
    Pensa se todos consumissem menos se as necessidades humanas diminuir. Seremos mais felizes, por alcançar tudo que todos têm e degradaremos menos nosso planeta.
    Pois quem esta deixando as coisas como estão e nosso estilo de vida agora.

    ResponderExcluir
  7. Bem, meu pai era piscodelico. Passou grande parte de sua vida consumindo drogas;nasceu em 1946. Daquela galera que nasceu no periodo do pós-guerra, a juventude dos anos 1960/1970; o rock e a cultura alternativa era uma especie de manifesto contra o stablishment vigente (imperialismo/colonialismo/capitalismo/consumismo). - Marcio Silva de Almeida, 38 anos - Joinville/SC

    ResponderExcluir
  8. nasci em 1962 uma epoca incrivel e ainda sou hippie e rockeira com muito orgulho

    ResponderExcluir
  9. to curtindo tudo de bom para todos os hippies do brasil

    ResponderExcluir
  10. Beijos para todos.Amei tudo.Tchau.

    ResponderExcluir
  11. GOSTEI DOS COMENTÁRIOS.UM ABRACO PARA TODOS.

    ResponderExcluir
  12. Achei tudo muito interessante e gostei demais desse mundo estranho. Foi super legal,,Tcau para todos.

    ResponderExcluir
  13. Seja a Mudança que você quer para o mundo!

    ResponderExcluir
  14. Boa noite, estou fazendo um trabalho sobre discriminação contras os hippie, voces poderia me passar alguns tipos de preconceito que vocês já passaram, e qual cidades que vocês acha que mais tem preconceito com seu estilo.

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  15. Os Hippies, foram o Lixo Podre de degenerados sem cultura e sem carater e, ainda foram os Idiotas Uteis do comunismo, mas no comunismo foram proibidos! Esses Parasitos Sociais chamados de Hippies, nunca tocaram suas "musicas" de merda em um país comunista, assim como ate hoje não tocam em Cuba!Hippies, são a Merda mundial! Abaixo os porcos Hippies!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lixo podre você seu idiota! O que você supõe que seja cultura então? Um pouco de bom-senso ajuda a entender a contribuição da cultura Hippie para o mundo... E Infelizmente é algo que você não tem...

      Excluir
    2. esta exaltado ferinha

      Excluir
    3. esta exaltado ferinha

      Excluir
  16. meus irmãos, se existir gente linda ai do outro, por favor, eu não aguento mais, esta tudo errado.
    ocomparini@bol.com.br

    ResponderExcluir
  17. nossa, não estou acreditando.............

    ResponderExcluir
  18. Abaixo aos preconceituoso! no mundo como o de hoje é extremamente raro pessoas que saibam amar.O seu ódio e seu nojo acrescentara alguma coisa na sua vida? Você logo estará morto e será esquecido, os que sabem amar são os que sabem viver, então, porque não fazer coisas boa e com boas intensões para ajudar aqueles que estão ao seu lado sem ficar pensando em que país toca ou não qualquer tipo de musica. No comunismo não tem liberdade de expressão. No capitalismo há muita hipocrisia e ganancia, porém, podemos nos expressar da maneira que bem entender. Bom mesmo seria se conseguissemos viver na sociedade em paz, mas são pessoas como você do comentário ai de cima que trazem o caus e a desordem com sua falta de consideração e arrogância.
    Um beijo e muito amor para todos.

    ResponderExcluir
  19. nossa os hippie sao demais ai!!!admiro muito esses caras...

    ResponderExcluir
  20. Uhu..Demaix aê, bixo...

    ResponderExcluir
  21. meu pai era hippie, vendia pulceiras, aneis e brincos que ele mesmo fazia, ele me influenciou e muito, pena que hoje ele já não é mais assim =/

    ResponderExcluir
  22. Admiro muito os hippie, mas somente na parte de paz e amor, viver uma vida sem ambições materias, e valorizar a natureza,não na parte de libertar a mente, usando drogas, acho que deveriam buscar essa libertação somente em Deus. Gostaria de ser e andar como eles mas sem as pessoas acharem que sou maconheira.

    ResponderExcluir
  23. Meus parabéns a quem criou o blog.
    Adorei, vou fazer um trabalho sobre os hippies e aqui tem conteúdos interessantes.
    Admiro muito eles e até hoje temos suas influencias em nossa sociedade.
    Adoro principalmente seu estilo.

    ResponderExcluir
  24. muito bom , só queria acrescentar que os gênios da tecnologia que hoje as pessoas não vivem sem; eram quase todos hippie ,só mentes visionárias seriam capazes de promover o futuro deles que vivemos hoje, pessoas muito além do seu tempo ;deem uma boa olhada no pessoal da Microsoft ,deem uma boa olhada no pessoal da Apple e no visionário Steve Jobs , gurus como Aleister Crowley que criou a maioria dos símbolos que usamos não como hippies mas como consumidores que somos ,nos cartões de banco e logos de montadoras de carro
    escritores como Aldous Huxley que publicou The Doors of Perception que influenciaram a cultura hippie e poetas como Jim Morrisom.
    Os que queriam libertar sua mente e seus corpos do materialismo do mundo morreram felizes e escreveram seus nomes na história do mundo ,os que ficaram revolucionaram .

    ResponderExcluir
  25. procure sobre a era de aquarius

    ResponderExcluir
  26. sou hippie e tenho orgulho da minha vida,cultura,minha arte,minha familia hippie e pra todos os falsificadores da paz um grande fora do mundo da arte e cultura.confio em deus e nunca vamos deixar de existir.

    ResponderExcluir
  27. sou professora e sou casada com um hippie,amo meu esposo,deus nos uniu e nos fortalece a cada dia.

    ResponderExcluir
  28. Pessoal que queira participar de um novo movimento, como se fosse uma nova Tropicalia, movimento psicodelico, com muita musica,artes, paz e amor e protestos me mandem um e-mail dfurchini@hotmail.com estamos no começo ainda abraço a todos PAZ E AMOR

    Diogo

    ResponderExcluir
  29. Vocês dizem que a cultura hippie esta morrendo, mais eu discordo. A cultura sobrevive, ela apenas mudou um pouco e se adaptou ao mundo atual. A contracultura sobrevive nos festivais de musica eletrônica. A cultura hippie não é mais exatamente a mesma mais a essência continua, talvez um pouco misturado com a cultura hindu.

    ResponderExcluir
  30. Gente, como vocês escrevem mal, tudo errado....caramba...leiam um pouco mais...

    ResponderExcluir
  31. A nova era dos hippies esta chegando com tudo, tenho orgulho de fazer parte dessa era , nao sei pra que esse preconceito com pessoas que usam drogas para se encontrar e se conhecer espiritualmente e interiormente, se nao gostam guarde a opniao pra vcs ,ninguem quer saber essa droga de pensamento merda que colocaram na sua cabeca, melhor viver nas drogas do que nesse mundo de mentiras , pelo menos nas drogas voce pode se sentir feliz realmente

    ResponderExcluir

Comente, dê a sua opinião! :)